Postagens da Comunicacao Copobras

15 agosto, 2013 7:24 pm | Publicado por Tags:,
caraminholando-cha-de-bebe-nika-linden-rosa-cinza-12

Vejam que ideia bacana para servir café em chás de bebê, aniversários e chás de cozinhas! O tema da decoração era botões, e foram colados adesivos nos copinhos térmicos, ficou lindo e super prático! Fonte: http://babies.constancezahn.com/


24 julho, 2013 12:41 pm | Publicado por
Laranjinha Kinkan1

Geleia de Laranjinha Kinkan Ingredientes: 4 partes de laranjinhas 2 partes de açúcar refinado 1/2 parte de agua Preparo: Pique e retire todas as sementes das laranjinha. Essa parte é um pouco trabalhosa, mas as sementes amargam o doce, precisa mesmo retirar. Depois junte o açúcar e se tiver tempo, deixe a mistura descansar na geladeira, em um pote fechado, por 24 horas. Essa etapa de descanso não é obrigatória, mas deixa as laranjinhas mais saborosas. Misture em fogo baixo as laranjinhas com açúcar e a 1/2 parte de agua e ferva ate que fique em ponto de fio. Embalagem: Em potinhos pequenos, facilitam a acomodação na geladeira e podem ser distribuídas aos amigos ou servir de lembrancinha para chás de panela ou visitas a pessoas queridas. Em potes de vidro fechados a vácuo o doce pode durar por mais de 1 ano se bem conservado. Guardando em potinhos de consumo rápido, como nos fizemos, a geleia deve ser consumida em 3 meses, mas garanto que não vai durar tudo isso! Experimente! Saiba mais: A provável origem da fruta é a China, de onde se espalhou para outros países da Ásia, principalmente o Japão. “Kumquat” ou “chin kan”, em chinês, e kinkan, em japonês, significam “laranja de ouro”. Em Santa Catarina a fruta é conhecida como xinxim. Mas não é exatamente uma laranja. Eduardo Stuchi, pesquisador da Embrapa Mandioca e Fruticultura Tropical, explica que a espécie pertence ao gênero Fortunella, e não ao Citrus (que inclui laranjas e tangerinas, entre outras). A kinkan apresenta alguns diferenciais, como a menor quantidade de gomos, a casca mais fácil de digerir e a proporção entre teores de açúcar e grau de acidez. Acredita-se que a “laranja de ouro” chegou ao Brasil com a primeira leva de imigrantes japoneses. Mas os portugueses já conheciam a fruta na época do Brasil Colonial –há registros do século 17 em que missionários portugueses na China descrevem a fruta. Seja como for, é nas áreas onde os japoneses se estabeleceram que a kinkan é mais cultivada. No Brasil, as principais regiões produtoras ficam em São Paulo. Degustar a kinkan em forma de caldas, molhos ou compotas é o mais comum no Brasil. Os japoneses a consomem mais in natura, com casca e tudo. No Japão, onde a maioria das frutas custa muito caro, a kinkan é barata e muito popular. Diz a lenda que é uma fruta que traz felicidade. Além de felicidade, pode trazer saúde. A kinkan é rica em vitamina C (151 mg/100 g), cálcio (266 mg/100 g), potássio (995 mg/100 g) e boa fonte de vitamina A, fósforo e outros micronutrientes. Fonte: Folha Online  


17 julho, 2013 1:17 pm | Publicado por

A gente já te mostrou como descascar uma batata com muita rapidez, agora chegou a vez do ovo. Vamos te mostrar duas maneiras. Nas duas você deve cozinhar o ovo e depois colocar em uma tigela com agua. Na primeira maneira, bata as duas pontas do ovo em uma superfície lisa (mesa, pia, tábua), e retire a casquinha. Depois sopre por um dos buraquinhos. Tome cuidado pra não deixar o ovo escapar! Na segunda maneira, role o ovo sobre a superfície lisa e pronto. Ovo descascado! Quer mais simples?


11 julho, 2013 1:32 pm | Publicado por

Os cupcakes estão em alta. Cada vez mais presentes nas comemorações, eles podem virar lindas lembranças. Olha que graça eles ficam embalados em um pote transparente e depois envolvidas em um saquinho com um laço de fita delicado. Sabe porque esses pequenos bolinhos são chamados de cupcake? Existem duas versões, a mais aceita remete a própria receita, uma vez que o ingredientes eram medidos em xícaras, como o nome sugere cupcake = bolo de xícara. A outra defende que até o início do século XX, não existiam formas para assar os bolinhos, o que fez com que a maioria das padarias os assasse em latas pequenas, surgindo, então, mais uma teoria para o termo cupcake. Independente da origem do termo, os bolinhos são deliciosos e lindos!